Brasil entre os dez maiores no ranking mundial dos hackers

WhatsApp

A CDN GoCache fez um estudo sobre cibercrimes e apontou que as principais fontes de ataques hackers no mundo são a China, os EUA, Turquia, Rússia, Taiwan e Brasil.

Veja abaixo os 10 países com maior participação no número global de ataques cibernéticos.

1. CHINA
Não é uma surpresa para ninguém. Pergunte a qualquer profissional de segurança da internet sobre cibercrimes e, certamente, a China será um dos primeiros nomes em mente. De fato, para ganhar superioridade competitiva em relação aos outros países, a China tem promovido uma alfabetização em informática muito boa entre seus jovens. Isto, infelizmente, também levou a um aumento do cibercrime e aumento do número de hackers. De acordo com várias estimativas, 41% dos ataques cibernéticos mundiais têm sua origem na China.

2. ESTADOS UNIDOS
Os EUA representam quase 10% do tráfego de ataques mundial. É o lar de muitos hackers famosos e infames. Em um dos principais casos dos EUA, um hacker foi condenado por 20 anos de prisão e multado em US$25.000, por roubar 90 milhões de números de cartões de crédito e débito dos principais varejistas americanos. Um outro hacker foi condenado por 10 anos de prisão depois que acessou as contas pessoais de e-mail das estrelas da indústria de Hollywood e ainda publicou suas fotos pessoais on-line.

3. TURQUIA
O terceiro lugar é ocupado pela Turquia. Este país é responsável por 4,7% dos ciberataques feitos no mundo. Os hackers turcos aumentaram muito suas atividades na última década. A situação política na Turquia, a religião, e o importante papel da redes sociais, estão relacionadas aos tipos de ataques que os hackers turcos fazem: normalmente são motivos religiosos e políticos. Assim, os hackers turcos visam crimes que lhes dê visibilidade ou dinheiro.

4. RÚSSIA
Segundo estimativas, cerca de 4,3% dos ciberataques globais é gerado a partir da Rússia. A popularidade do hacking na Rússia pode ser explicada por vários fatores: um grande número de especialistas em TI altamente educados e com excelentes habilidades em matemática e informática, falta de empregos qualificados, a difícil situação financeira do país e circunstâncias geopolíticas.

5. TAIWAN
“Pequeno, mas forte!” Esse devia ser o lema dos hackers taiwaneses. A pequena ilha, localizada perto da China, é um grande celeiro de hackers. Sozinha é responsável por quase 3,7% dos ataques cibernéticos globais. Devido à sua localização geopolítica, Taiwan é um campo de batalha, onde acontecem uma grande quantidade de ataques cibernéticos, vindos especialmente da China.

6. BRASIL
Com 3,3% de participação no número global de ciberataques, o Brasil ocupa o 6º lugar do ranking. De fato, o Brasil tem o maior número de ataques cibernéticos, não apenas na América do Sul, mas em todo o hemisfério sul. Só no último ano, o CERT.br registrou mais de meio milhão de ataques, e isto porque acredita-se que a grande maioria dos ataques sequer são registrados oficialmente.

7. ROMÊNIA
Na 7ª posição, a Romênia é responsável por 3,3% do cibercrime global. Você ficará surpreso, mas há uma cidade na Romênia, chamada “Ramnicu Valcea”, que é popularmente conhecida como o centro dos criminosos hackers. A maioria dos ataques cibernéticos da Romênia tem origem nesta cidade.

8. ÍNDIA
Em 8º lugar na lista está a Índia, um dos centros de TI do mundo. Nos últimos tempos, a Índia está testemunhando um número crescente de crimes cibernéticos. Os hackers indianos são responsáveis por 2,3% no crime cibernético global. Hackers indianos foram acusados ​​de espionagem cibernética internacional quando uma série de ataques de espionagem foram feitas contra empresas civis e de interesse de segurança nacional, como a Porsche Holdings, a Delta Airlines, escritórios de advocacia dos EUA e alvos paquistaneses. O grupo de hackers operou por três anos e organizou ataques de phishing.

9. ITÁLIA
Na nona posição da lista de países com a mais hackers e crimes cibernéticos, está a Itália. Cerca de 1,6% das atividades totais de cibercrimes são feitas pelos hackers italianos. Existem, aliás, dois hackers italianos muito famosos: Luigi Auriemma e Donato Farrante Aureima. Eles estão envolvidos em hackear sites governamentais e revelar publicamente informações sobre quaisquer ameaças de segurança.

10. HUNGRIA
O décimo lugar é ocupado pela Hungria. É um pequeno país europeu, mas possui uma considerável rede de hackers. Ela bateu de perto a Coréia do Sul, tomando o 10º lugar no Ranking. Os hackers húngaros são responsáveis por 1,4% na atividade global de crimes cibernéticos.

Sobre Iúri Moreira 577 Artigos
Jornalista, músico, fotógrafo, marido de Isabela, pai de Arthur, fã dos Beatles e do Iron Maiden. Geek e cinéfilo, também é viciado em seriados e games. Nas horas vagas, pode ser encontrado gravando no homestudio, mexendo na moto, cozinhando ou desmontando algum equipamento eletrônico.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*