Confira o teste do novo SUV Peugeot 3008

O mercado de SUVs brasileiro levou uma boa chacoalhada com a chegada da segunda geração do Peugeot 3008. Não é pra menos: durante dez dias, utilizei o SUV como veículo principal, gentilmente cedido pela marca francesa. Ao final do teste, a certeza é a de que o carro honra o leão que possui na carroceria, com excelente disposição e consumo aceitável. No total, foram cerca de 400km percorridos – dos quais 280km na estrada, indo e voltando do Recife para João Pessoa.

De cara, o design chama a atenção por onde passa e é garantia de vários pescoços virando nas ruas. Em relação à primeira versão, o modelo deixou a pegada minivan e está mais alto e longo, com volumes bem definidos. O teto parece flutuar sobre duas hastes que começam nos LEDs dos faróis e a nova grade dianteira vertical dá mais imponência e cara de carro grande (e põe grande nisso!). As belas rodas de 19″ dão charme e agressividade ao modelo.

Internamente é onde o bicho pega. O painel iCockpit, localizado no meio, controla praticamente tudo dentro do carro e transmite uma sensação de estar pilotando uma nave espacial. O painel de instrumentos, acima do volante, é digital e configurável. Enquanto o modo “Visores” é o clássico com velocímetro e conta-giros (invertido, muito estranho), o “minimo” mostra apenas a velocidade e o “pessoal”, como o nome já diz, permite escolher que informações colocar na tela. No meu caso, optei pela média de consumo, quilometragem até o abastecimento, conta-giros e velocidade.

No console central, estão a alavanca de câmbio eletrônica e diversos atalhos para as funções da tela touchscreen, como ar-condicionado, som, telefone, câmera de ré e os modos de massagem disponíveis nos assentos de motorista e passageiro. O sistema pneumático possui oito bolsas de ar que oferecem cinco tipos de massagens diferentes, que podem ser selecionados separadamente pelo condutor e passageiro em um botão exclusivo, na própria estrutura do banco. Os modos disponíveis são Patas de Gato; Onda; Área; Ombros e Lombar. Parece luxo desnecessário, mas ficar preso nos infinitos engarrafamentos da capital pernambucana passa a ser uma experiência muito menos estressante!

Os bancos ainda possuem ajuste elétrico de altura e comprimento. Em cima, além do retrovisor central e dos controles de iluminação, estão os botões que acionam o amplo teto solar. Os bancos de couro combinam com os detalhes de acabamento do interior, com materiais emborrachados e tecido. À noite, LEDs azulados iluminam o interior do francês, nas portas, no painel e na moldura do teto solar. Uma tomada USB para smartphone está disponível, assim como um amplo espaço refrigerado entre os bancos do motorista e passageiro, ideal para colocar garrafas de água, por exemplo.

Desempenho – O motor 1.6 THC Turbo de 165cv roda exclusivamente a gasolina e tem 24,5kgfm disponíveis a partir de 1,4 mil rpm. Na prática, isso resultou em um consumo médio de 10,43km/l, com média de 14,5km/l na estrada. Mesmo em velocidades elevadas, ultrapassando os 140km/h, o conta-giros manteve-se na casa dos 2,6 mil rpm sem alarde e sem perder força nos aclives. O câmbio possui ainda um modo manual, com as trocas podendo ser efetuadas pelas aletas atrás do volante. Neste caso, entretanto, o consumo sobe em progressão geométrica. Nos nossos números, foram gastos 39 litros em 407 km percorridos no total.

Direção elétrica, freios progressivos e suspensão cumprem seu trabalho com louvor, principalmente a suspensão, macia na hora dos buracos e firme nas curvas. A segurança ativa fica por conta dos controles de tração e estabilidade e dos seis airbags com oito pontos de proteção: condutor e passageiro dianteiro; laterais e de tórax para o condutor e passageiro e dianteiros e traseiros para a cabeça tipo cortina. O valor divulgado pela montadora é R$ 139.990,00.

Ficha Técnica:

Motor: 4 cilindros em linha 1.6 16V turbo, com injeção direta
Combustível: gasolina
Potência: 165 cv a 6.000 rpm
Torque: 24,5 kgfm de 1.400 a 4.000 rpm
Câmbio: automático sequencial, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensões: pseudo MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,447 m (c), 1,906 m (l), 1,625 m (a)
Entre-eixos: 2,675 m
Pneus: 235/50 R19
Porta-malas: 521 a 1.482 litros
Tanque: 53 litros
Peso: 1.567 kg
0-100 km/h: 8s9
Vel. máxima: 206 km/h
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: A (SUV Grande)

 

Sobre Iúri Moreira 514 Artigos
Jornalista, músico, fotógrafo, marido de Isabela, pai de Arthur, fã dos Beatles e do Iron Maiden. Geek e cinéfilo, também é viciado em seriados e games. Nas horas vagas, pode ser encontrado gravando no homestudio, mexendo na moto, cozinhando ou desmontando algum equipamento eletrônico.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*