Fintech pernambucana Flexpag completa nove anos de mercado

Flexpag

Oferecer soluções tecnológicas inovadoras que facilitem a prestação de serviços de gestão de pagamentos é o que faz a Flexpag, fintech pernambucana que completa nove anos neste mês de março seguindo a tendência do mercado do setor: o de expansão do seu negócio e crescimento de faturamento. Em 2020, mesmo em meio ao cenário de pandemia, a empresa se adaptou rapidamente e conseguiu quadruplicar sua carteira de clientes.

O foco da Flexpag é facilitar a rotina e otimizar a operação dos setores de arrecadação das empresas de consumo, privadas ou estatais, dos segmentos de água, energia, telefonia, gás e trânsito (Detrans). Sua plataforma de arrecadação atualmente é utilizada por mais de 20 companhias em 13 estados brasileiros. Ao invés das empresas disponibilizarem um recurso próprio para pagamento das contas e, internamente, desdobrarem-se para realizar conciliação e avaliar fraudes, a plataforma oferece todas essas soluções embarcadas.

O sistema da Flexpag se integra ao dos seus clientes. A partir da comunicação entre os sistemas, é possível buscar as informações das faturas em aberto e oferecer ao consumidor final (a população) a opção de parcelamento do valor no cartão de crédito em até 12 vezes, acrescido de uma pequena taxa de serviço, competitiva em comparação com as taxas de juros de crédito pessoal e cheque especial

Usando o serviço da Flexpag, as empresas de consumo deixam de fazer a conciliação manual das transações, que envolvem diversas planilhas, cruzamento de informações. A Flexpag já entrega essas informações, reduzindo o tempo gasto na rotina da operação de cobrança. “O benefício gerado para os nossos clientes está no aumento da arrecadação, tanto por contas atrasadas quanto por pagamentos correntes”, explica Aloísio Neto, gerente Comercial e de Marketing da Flexpag.

A empresa oferece pontos e canais de arrecadação para redução, principalmente, da inadimplência. O foco, nesse caso, são os clientes que buscam uma renegociação dos débitos e passam a contar com uma opção segura para realizar a quitação das dívidas. Ele conta que, além do cartão de crédito, o usuário final também pode usar o cartão do auxílio emergencial ou pix, duas inovações incorporadas em 2020. “Para o usuário é uma facilidade a mais. Para o nosso cliente, um canal a mais de arrecadação” complementa. A Flexpag também conta com opções dos totens de autoatendimento e o chat bot, onde o cliente recebe o link de pagamento pelo WhatsApp para finalizar a transação.

ADAPTAÇÃO – Durante a pandemia, a empresa precisou mudar de patamar para acompanhar as demandas dos novos clientes, já que a necessidade de afastamento social, com as pessoas não podendo ir aos canais tradicionais de pagamento como os bancos e as lotéricas, acelerou a tendência pela digitalização dos processos de pagamento em geral. “Conseguimos nos adaptar para acompanhar e atender as oportunidades que surgiram no mercado”. Segundo Aloísio, 2021 continua sendo um ano promissor para a Flexpag. “Nosso objetivo é dobrar o faturamento e conquistar novos clientes. Nosso planejamento é chegar ao fim do ano com 28 novos clientes.

O plano de expansão da fintech pernambucana não tem preferência por unidade geográfica. “Olhamos o Brasil como um todo e trabalhamos com o conceito de máquina de vendas. Priorizamos os clientes, fazemos contato, apresentamos as soluções e os resultados e, na medida que vamos produzindo os negócios, vamos acelerando para fechar os contratos”, detalhou.

A Flexpag já atendeu mais de 60 milhões de pessoas/consumidores, tendo realizado mais de 180 milhões de pagamentos, cobrindo os estados do Rio Grande do Norte (Caern e Cosern), Paraíba (Energisa), Pernambuco (Celpe e Compesa), Sergipe (Energisa), Bahia (Coelba), Tocantins (Energisa), Mato Grosso (Energisa), Mato Grosso do Sul (Energisa), Rondônia (Energisa), Acre (Energisa), Minas Gerais (Energisa), Rio de Janeiro (Energisa) e São Paulo (Energisa e Electro).

Be the first to comment

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: