Luz azul de aparelhos eletrônicos causa sérios danos à visão

Luz Azul

Todos os dias estamos em contato constante com a luz azul, seja por meio das telas dos aparelhos eletrônicos (computadores, celulares e televisão), seja pela exposição à luz do sol. No entanto, a luz azul presente nos eletrônicos afeta diretamente a mácula do olho, região da retina responsável pela visão central (visão de cores e detalhes), devido ao direcionamento da radiação.

“Atualmente, já temos evidências de que a luz azul pode ser prejudicial à visão por afetar a retina, causando dano aos fotorreceptores e, assim, a diminuição visual, pois são as células responsáveis pela visão” diz o oftalmologista Dr. Rony C. Preti, fundador do Preti Eye Institute e Professor Doutor da USP.

De uma maneira geral, pela radiação emitida pelos aparelhos ser de baixa intensidade, ela não parece ser danosa aos olhos. Entretanto, existem dois pontos que temos que considerar: inicio e tempo de uso. “Primeiro, hoje estarmos iniciando o uso destes aparelhos muito cedo. Já quando criança, os pais oferecem televisão, celular ou tablet para a criança comer ou assistir seu desenho animado favorito. Segundo, passamos em média 8 horas por dia e outras até mais, utilizando estas novas tecnologias. Quando tudo isto é levado em consideração, não sabemos se no decorrer de 50 anos de uso, por exemplo, as pessoas não terão nenhum dano à visão, principalmente, aquelas pessoas predispostas a terem doenças de retina, como degeneração macular relacionada á idade ou retinopatia diabética”, avisa.

Além disso, a luz azul, emitida pelo sol e aparelhos eletrônicos, desempenha um papel na fotorrecepção não visual, isto é, tem ação no relógio biológico, estando envolvida no estado de alerta. “Esta luz é mais prejudicial durante a noite, pois suprime a produção de melatonina (hormônio do sono), que tem como principal função estar envolvida no momento de dormir. Então aquelas pessoas que ficam vendo o celular na cama, por exemplo, podem ter o sono afetado e cronicamente serem mais predispostas à obesidade, depressão e até câncer”, explica Preti.

Na retina, a luteína e zeaxantina são pigmentos naturais  com propriedades antioxidantes que ajudam a proteger o olho contra danos causados pelos radicais livres, através, da absorção da luz para evitar excessos. “Estes carotenoides ajudam a criar um escudo de pigmento amarelo que protege as células de frequências perigosas de luz, como a azul”, aponta.

Para a prevenção de todos estes danos, é indicado a interrupção do uso de aparelhos na hora dormir. Com relação ao dano da retina, a ingestão de alimentos como brócolis e espinafre – ou através de suplementação em casos específicos – contêm luteína e zeaxantina. Os dois caratenóides funcionam como uma vitamina que vai direto para os olhos. O corpo humano não produz essas substâncias, mas precisa delas para o bom funcionamento da saúde ocular.

Sobre Iúri Moreira 563 Artigos
Jornalista, músico, fotógrafo, marido de Isabela, pai de Arthur, fã dos Beatles e do Iron Maiden. Geek e cinéfilo, também é viciado em seriados e games. Nas horas vagas, pode ser encontrado gravando no homestudio, mexendo na moto, cozinhando ou desmontando algum equipamento eletrônico.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*