Menor tempo de latência entre data centers é aposta da Surfix

Surfix

A Surfix Data Center vem registrando crescimento em 2020 devido aos impactos tecnológicos decorrente das implicações impostas pela pandemia, principalmente a explosão do trabalho remoto e o aumento dos riscos cibernéticos. Sendo o único data center corporativo em operação em Pernambuco, um dos fatores que estão a seu favor é o tempo de latência. A latência é o tempo que um computador, em uma rede, leva para consultar uma informação no servidor ou em outro computador e impacta diretamente na qualidade do serviço da rede e, consequentemente, na operação do negócio. Para se ter uma ideia da criticidade desse aspecto, o tempo de latência é medido em segundos divididos por mil ou milissegundos.

“Para clientes instalados na Região Metropolitana do Recife, a Surfix consegue oferecer um tempo de latência menor que um milissegundo e, no resto do Estado, menor que dois milissegundos”, garante o diretor de Tecnologia da Surfix, Wagner Medeiros. E essa qualidade praticamente independe da operadora de dados do cliente, já que a Surfix tem interconexões (BGP) com as maiores empresas de telecom do Brasil. Assim, quem opta por um data center local ganha na velocidade de acessos.

Sensibilidade à latência – Com esse diferencial, a Surfix consegue atender a clientes que exigem um tempo de latência mínimo. Um exemplo são as empresas que utilizam sistemas cliente/servidor mais antigos, nos quais o sistema acessa diretamente o banco de dados. Blocos de storage (HD em disco) também são muito sensíveis à latência. Apesar de estar à frente da concorrência nesse aspecto crucial, a Surfix sabe que não pode parar num mercado altamente competitivo e vem investindo constantemente em redução da latência. “Esse tende a ser cada vez mais um fator vital na área de data centers, juntamente com a segurança da informação”, explica Wagner Medeiros.

A Surfix tem 17 anos de atuação no desenvolvimento e implantação de soluções para o mercado de TIC, com expertise nos serviços de telefonia digital, data center e wi-fi marketing. A empresa se destaca pelo alto nível de expertise técnica da equipe e infraestrutura avançada, sendo capaz de atender o exigente mercado corporativo, oferecendo aos clientes uma vantagem competitiva, por meio de mais eficiência, melhor atendimento, aproximação com o público e economia.

O data center da Surfix é o primeiro em Recife focado em serviços de hosting, colocation, segurança e nuvem totalmente projetado e construído conforme especificações de redundância de um Tier III. Novo braço da empresa, o data center completa um ano de operação com resultados acima da expectativa. Atualmente, a carteira soma 150 clientes de diversos segmentos e não para de se expandir: a projeção é de um crescimento de cerca de 200% no faturamento até o final de 2020 em relação ao início deste ano.

O negócio, alavancado pela pandemia, também vem sendo impulsionado pela opção que muitas organizações vêm fazendo, de trabalhar com uma empresa local ao invés de armazenar seus dados na nuvem de um gigante do Vale do Silício. Para clientes que buscam um relacionamento mais próximo e atendimento personalizado esse é um fator de peso nessa decisão.

Sobre Iúri Moreira 834 Artigos
Jornalista, músico, videomaker, marido de Isabela, pai de Arthur, fã dos Beatles e do Iron Maiden. Geek e cinéfilo, também é viciado em seriados e games. Nas horas vagas, pode ser encontrado gravando no homestudio, mexendo na moto, cozinhando ou desmontando algum equipamento eletrônico. Também fala sobre rock e heavy metal no canal Youtube.com/tomaruma

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário